Minas Acontece - MUNICÍPIO DE ALFENAS TÊM REDUÇÃO NA CRIMINALIDADE VIOLENTA NO ANO DE 2016
Minas Acontece - O que acontece em Minas você fica sabendo primeiro aqui! Notícias: Alfenas - Guaxupé - Machado - Pouso Alegre
Minas Acontece Home    Fale Conosco  

Galeria de Fotos   |   Vídeos  

PÁGINA PRINCIPAL     |     ALFENAS     |     MACHADO     |     POÇOS DE CALDAS     |     POUSO ALEGRE     |     VARGINHA     
Polícia       Política       Geral       Economia       Esporte       Cultura       Eventos       Guia Comercial      Contato Buscar:


MUNICÍPIO DE ALFENAS TÊM REDUÇÃO NA CRIMINALIDADE VIOLENTA NO ANO DE 2016
10/1/2017
compartilhe:

É o que mostra um levantamento da Secretaria de Estado de Segurança Pública (Sesp) sobre o total de ocorrências dos nove tipos de crimes violentos – homicídio (consumado e tentado), roubo, sequestro, extorsão mediante sequestro, estupro (consumado e tentado) e estupro contra vulnerável (consumado e tentado).

Em todo o estado, incluindo a Grande BH, a soma das nove espécies de crimes violentos avançou 13,6% no período analisado, de 116.865 ocorrências para 132.804.

Em muitos municípios do interior, contudo, o percentual ficou bem acima do apurado na média estadual.

É o caso de Divinópolis, onde a Polícia Militar tem dificuldade em combater a bandidagem. O aumento da violência na cidade foi de 36,1% – o total de registros subiu de 1.951 para 2.657. O roubo consumado respondeu pela maior parte dos registros no acumulado dos 11 primeiros meses do ano passado. Foram 2.531 ocorrências – ou 95,2% do total.

O salto da violência também foi alarmante no município vizinho de Nova Serrana, onde, proporcionalmente, a população foi a que mais cresceu (95,7%) no estado, segundo os censos de 2000 (37.447 habitantes) e 2010 (73.273 moradores). O conjunto dos nove crimes violentos avançou 55,3%, com as ocorrências passando de 1.033 para 1.605.

De acordo com dados da Sesp, foram 1.532 roubos consumados de janeiro a novembro de 2016.

Vários fatores explicam o aumento da criminalidade no interior. Um deles é o crescimento desorganizado de algumas cidades, como avalia Bráulio Figueiredo, pesquisador do Centro de Estudos de Criminalidade e Segurança Pública (Crisp), da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG).

O professor destaca um estudo, a título de exemplo, para mostrar o avanço da criminalidade no estado. Figueiredo usa, contudo, a capital e a região metropolitana (exceto BH) como espaço territorial dos seguintes dados: “Em 2003, Belo Horizonte respondeu por 65% dos crimes violentos em toda a Grande BH. Em 2015, esse percentual caiu para 58%”. Em outras palavras, a proporção dos crimes violentos na Grande BH, com a exclusão da capital, passou de 35% para 42%.

Consequentemente, o estado, como um todo, tem atingido, cada vez mais, patamares elevados de crimes violentos. Além disso, a população do interior está crescendo em ritmo mais acelerado que BH. Muitas vezes, esse crescimento é de forma desorganizada”, reforça o pesquisador do Crisp.

Já a Sesp optou por fazer outra leitura dos próprios dados. A secretaria destacou que o roubo é o único dos nove crimes que se mantém em escala elevada no interior. Informou que “a alta considerada entre janeiro e novembro de 2015 e 2016 é de 18,11%”, e enfatizou que o aumento ocorre numa escala inferior à do início do ano passado, “quando estava na casa dos 28,3%”.

Em relação aos outros tipos de violência, a Sesp afirma que houve quedas, como foi o caso de estupro tentado de vulnerável, que recuou 36%.

Podemos observar no gráfico apresentado pelo estudo que no município de Alfenas-MG, houve uma redução de -1,5% em 2016, comparado com o ano de 2015, relativo a crimes violentos, comparado com outros municípios do estado de Minas Gerais.

 

height=960

ASSESSORIA DE COMUNICAÇÃO ORGANIZACIONAL DA 18ª CIA PM IND:
18ª COMPANHIA DE POLICIA MILITAR INDEPENDENTE



compartilhe:










New Page 8

 
Notícias >  Cultura  |  Esportes  |  Economia  |  Geral  |  Polícia  |  Política

Classificados >  Geral  |  Imóveis  |  Veículos

Home       Fale Conosco  

Fone:35 8705-5331
Todos direitos reservados.