Minas Acontece - Justiça condena ex-prefeito e ex-vereador pelo crime de rachadinha em São Lourenço
Minas Acontece - O que acontece em Minas você fica sabendo primeiro aqui! Notícias de: Alfenas, Alterosa, Areado, Campos Gerais, Guaxupé, Juruaia, Machado, Paraguaçu, Poços de Caldas, Pouso Alegre, Serrania e Varginha.

Supermercado Nobre

Minas Acontece Home    Fale Conosco  

Galeria de Fotos   |   Vídeos  

PÁGINA PRINCIPAL  |  ALFENAS  |  ALTEROSA  |  AREADO  |  CAMPOS GERAIS  |  GUAXUPÉ  |  JURUAIA  |  MACHADO  |  PARAGUAÇU  |  
POÇOS DE CALDAS  |  POUSO ALEGRE  |  SERRANIA  |  VARGINHA
Polícia       Política       Geral       Economia       Esporte       Cultura       Eventos       Guia Comercial      Contato Buscar:


Justiça condena ex-prefeito e ex-vereador pelo crime de rachadinha em São Lourenço
24/11/2021
compartilhe:

O crimes foram cometidos no SAAE do município e a sentença ainda cabe recurso. 

height=274

A Vara Criminal da Comarca de São Lourenço, condenou o ex-prefeito de São Lourenço (MG), Natalício Cavalcanti Freitas e o ex-vereador Paulo Gilson Chopinho de Castro Ribeiro, o Chopinho, além de mais cinco pessoas, pela prática de um esquema de "rachadinha" envolvendo cargos do Serviço Autônomo de Água e Esgoto (SAAE), do município. 

O juiz Fábio Garcia Macedo Filho, deu a sentença dos crimes de tráfico de influência e associação a outros réus também pela prática do esquema, sendo a pena para o ex-prefeito e o ex-vereador de 3 anos, 8 meses e 10 dias de reclusão, em regime aberto, mas será convertida em multa.

O crime foi descoberto após um denúncia em 2019, que resultou em uma operação do Ministério Público, juntamente com a Polícia Civil e a Polícia Militar. Conforme repassou na época o promotor responsável pelas investigações, Leandro Pannaim, o então vereador e o ex-prefeito teriam usado a influência para nomear conhecidos no serviço Autônomo de Água e Esgoto (SAAE) e, assim, receber parte dos salários deles. 

Na época foram apreendidos  R$ 12 mil em dinheiro, além de 76 cheques de mais de R$ 161 mil. Os acusados foram denunciados pelo MPMG por associação criminosa, corrupção ativa, tráfico de influência, favorecimento real e extorsão. Entre elas, o vereador, que teve a prisão preventiva decretada e fugiu para a cidade de Oliveira (MG), mas foi preso e perdeu o mandato na câmara. 

Da Redação


compartilhe:

















New Page 8

 
Notícias >  Cultura  |  Esportes  |  Economia  |  Geral  |  Polícia  |  Política

Classificados >  Geral  |  Imóveis  |  Veículos

Home       Fale Conosco  

Fone:35 8705-5331
Todos direitos reservados.