Minas Acontece - Novela chega ao fim com Hélio Costa para o governo de Minas
Minas Acontece - O que acontece em Minas você fica sabendo primeiro aqui! Notícias de: Alfenas, Alterosa, Areado, Campos Gerais, Guaxupé, Juruaia, Machado, Paraguaçu, Poços de Caldas, Pouso Alegre, Serrania e Varginha.

Supermercado Nobre

Minas Acontece Home    Fale Conosco  

Galeria de Fotos   |   Vídeos  

PÁGINA PRINCIPAL  |  ALFENAS  |  ALTEROSA  |  AREADO  |  CAMPOS GERAIS  |  GUAXUPÉ  |  JURUAIA  |  MACHADO  |  PARAGUAÇU  |  
POÇOS DE CALDAS  |  POUSO ALEGRE  |  SERRANIA  |  VARGINHA
Polícia       Política       Geral       Economia       Esporte       Cultura       Eventos       Guia Comercial      Contato Buscar:


Novela chega ao fim com Hélio Costa para o governo de Minas
04/05/2010
compartilhe:

Chapa mineira da base de Lula deverá ser formalizada na segunda-feira


Murilo Rocha e Matheus Jasper Nangino
 

As cúpulas nacionais do PT e PMDB já teriam definido o nome do candidato ao governo de Minas. O senador Hélio Costa (PMDB) teria sido o escolhido para evitar um racha na aliança nacional entre os dois partidos que sustenta a candidatura da ex-ministra Dilma Rousseff (PT) à Presidência da República.

Nos bastidores, a informação é que, embora tudo já esteja definido, a formalização do acordo - com Costa na cabeça de chapa e o ex-prefeito de Belo Horizonte (PT) Fernando Pimentel na disputa pelo Senado - só será divulgada na segunda-feira, em Brasília. Ontem, o site da revista "Época" afirmava que o próprio Pimentel havia confirmado o acordo e desistido da disputa em favor de Costa. A reportagem tentou falar com o ex-prefeito durante todo o dia, mas ele não retornou aos recados deixados em seus celulares. O recuo de Pimentel, que lutava para ser cabeça de chapa do partido, veio após intensa pressão da cúpula nacional petista. A própria Dilma teria se encontrado na última quarta-feira com Pimentel para tentar convencê-lo a desistir do governo de Minas e pôr fim ao imbróglio envolvendo PT e PMDB no Estado. Impasse que atrapalha a coligação nacional em torno de sua candidatura.

Apesar da confirmação de bastidores, lideranças do PT e PMDB negaram que a decisão tenha sido tomada. E que ainda haverá uma reunião no domingo, prazo dado pelos comandos dos partidos, para que seja definido o nome. "Por enquanto, não há nada decidido porque vamos esperar essa reunião de domingo para tentarmos chegar a um acordo", disse ontem a O TEMPO o presidente nacional do PT, José Eduardo Dutra. Segundo ele, a única coisa certa é que em Minas haverá apenas um palanque da base do presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

O presidente do PT em Minas, Reginaldo Lopes, negou que a ex-ministra tenha pressionado Pimentel. "Ela apenas quer uma definição rápida do quadro", disse. Lopes também disse desconhecer a existência do acordo e que uma definição só sairá após a reunião de domingo. O presidente estadual do PMDB, Antônio Andrade, confirma. "Nós vamos nos reunir na busca e esperança de decidir", afirmou.

As negativas dos líderes do PT e PMDB teriam explicação: um acordo para que o anúncio da escolha de Costa fosse feito pelas lideranças nacionais do PT e PMDB. A intenção seria mostrar à militância que o PT de Minas lutou até o limite para ter uma candidatura própria. Assim, qualquer ônus pelo sacrifício da candidatura de Pimentel ficaria por conta da executiva nacional petista.

O PROCESSO
06 de Junho
- Prazo definido pelas cúpulas nacionais do PT e PMDB para que os mineiros apresentem um nome ao governo de Minas.
07 de Junho - O nome de Hélio Costa deve ser anunciado em Brasília como candidato ao governo.
12 de Junho - Convenção do PMDB deve referendar a aliança nacional com o PT.



Composição

Patrus deve ser o vice na chapa da base de Lula

No acordo fechado em Brasília, na terça-feira, em uma reunião com as presenças do senador Renan Calheiros (PMDB), do deputado federal Michel Temer (PMDB) e de dois petistas, o ex-ministro José Dirceu e o deputado federal Antonio Palocci, teria sido decidido também o ocupante da vaga de vice na chapa do senador Hélio Costa. O ex-ministro de Desenvolvimento Social e Combate à Fome Patrus Ananias (PT) seria o nome.

Informações de bastidores dão conta que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva entrou em contato com Patrus para fazer o convite, que teria sido aceito.

Segundo o site da revista “Época”, o próprio Fernando Pimentel confirmou a chapa da base aliada de Lula, com Hélio Costa na cabeça, Patrus como vice e ele, na vaga ao Senado.
Patrus Ananias disputou com Pimentel as prévias internas do partido para decidir quem seria o pré-candidato ao governo e foi derrotado. Após as prévias, em entrevista para O TEMPO, ele afirmou que ainda não tinha decidido sobre seu futuro na política, mas garantiu que continuaria lutando por um palanque único da base de Lula em Minas que fosse capaz de contribuir com a candidatura da petista Dilma Rousseff à Presidência.

A reportagem entrou em contato com Hélio Costa, Fernando Pimentel e Patrus Ananias mas eles não atenderam as chamadas da reportagem. (MJN)

Entenda
Tática. O PT de Minas realizou prévias para escolher o candidato do partido ao governo para depois negociar a cabeça de chapa com o PMDB. A ideia é ter apenas um palanque da base de Lula Estado.



 
A história
Imbróglio chega ao fim com empate em pesquisa

O acordo entre PT e PMDB promete encerrar uma longa novela. Depois de ganhar as prévias dentro do PT, o ex-prefeito de Belo Horizonte Fernando Pimentel começou a construir um acordo com o ex-ministro Hélio Costa para definir quem seria o cabeça de chapa. PT e PMDB nacional exigiram que os partidos em Minas colocassem apenas uma chapa da base de Lula para candidatura ao governo do Estado.

Uma comissão formada por PT, PMDB, PCdoB, PR e PRB foi criada para tentar o entendimento. Ela definiu que o critério de escolha do nome seria as pesquisas eleitorais.

No último final de semana, ficaram prontas as pesquisas que a comissão encomendou. Em ambas, Pimentel havia crescido e Hélio Costa caído. Os dois praticamente ficaram em empate técnico. Segundo os levantamentos, ambos vencem o governador Antonio Anastasia, candidato apoiado pelo ex-governador Aécio Neves. Mas Anastasia mostrou crescimento das intenções de voto. (MJN)

Fonte: O Tempo



compartilhe:

















New Page 8

 
Notícias >  Cultura  |  Esportes  |  Economia  |  Geral  |  Polícia  |  Política

Classificados >  Geral  |  Imóveis  |  Veículos

Home       Fale Conosco  

Fone:35 8705-5331
Todos direitos reservados.