Poços de Caldas

Empresário que contratou pistoleiro para matar a ex-companheira é encontrado morto em um sítio em Caldas

O crime aconteceu em 2014 na cidade de Poços de Caldas, mas o empresário respondia em liberdade.

2 de agosto de 2022

Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter
Compartilhar no telegram

O empresário João Batista dos Reis, o “João Papelão”, que pagou R$ 50 mil para matar a ex-companheira em 2014, na cidade de Poços de Caldas, no Sul de Minas, foi encontrado morto no domingo (31/07), no Sitio em que morava na cidade de Caldas (MG).

Um vizinho da chácara encontrou o corpo do empresário, o socorro chegou a ser chamado, mas ele já estava sem vida. A morte foi por causas naturais, segundo a família.

O crime

Quando voltava do trabalho no dia 15 de janeiro de 2014, a vítima Andrea de Araújo Almeida, desapareceu, somente dias depois a ossada dela foi encontrada em um cafezal no distrito de Palmeiral, na cidade de Botelhos (MG).

Investigações da Polícia Civil (PCMG) apontaram que a motivação do crime teria sido um desentendimento por causa de uma partilha de bens, após 12 anos de convivência do casal. O empresário tinha uma fortuna avaliada em R$ 70 milhões, mas no processo a vítima pedia um acordo de R$ 5 milhões e uma pensão de R$ 10 mil por mês. Ele ofereceu a ela um acordo de R$ 500 mil e uma pensão de R$ 5 mil mensais, o que não foi aceito.

Os pistoleiros contratados para o crime foram presos na Bahia, ambos com extensa ficha criminal, o casal que trabalha para o empresário responsável por contratar os pistoleiros, apenas o homem foi preso.

No julgamento o empresário confessou todo o crime em 2017 e foi condenado a 18 anos, mas respondia em liberdade após uma decisão do Tribunal de Justiça de Minas Gerais, que concedeu liberdade provisória e aguardava o julgamento em liberdade.

Foto: G1 Sul de minas

Da Redação