Alfenas

Justiça dá prazo máximo de 30 dias para prefeitura pagar cirurgia da pequena Lívia

Secretaria de Saúde diz que o processo está burocrático está em fase final e deve ser concluído em 10 dias.

13 de maio de 2022

Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter
Compartilhar no telegram

O caso da pequena Lívia que sofre com uma doença rara parece estar chegando na reta final com uma notícia boa. A Justiça determinou um prazo máximo de 30 dias para a prefeitura pagar a cirurgia.

Na decisão a Justiça deixa bem esclarecido o caráter de urgência em cumprimento da decisão, já que a gravidade no quadro da síndrome leva a quadros de aspiração pulmonar e pneumonias de repetição. Ainda na decisão a prefeitura terá que pagar todos os gastos médicos para a cirurgia de traqueoplastia, além de fornecer o transporte e tudo mais conforme prescrição e recomendações médicas.

A secretária de saúde Deyv Cabral de Assis, nos explicou que o processo burocrático já está em fase final, no máximo em 10 dias deve ser concluído para serem efetuados todos os pagamentos da cirurgia.

Entenda o caso Livinha

A pequena Lívia sofre com uma doença chamada laringotraquiosofágica, é uma anomalia congénita do trato respiratório caracterizada por uma fenda inter-aritenóidea supraglótica (acima das pregas vocais) com sintomas respiratórios ligeiros. A criança também precisa de uma alimentação especial e já sofreu com pneumonia.

O pai da pequena Lívia criou a conta todos_pelalivinha no Instagram relatando sobre a doença da filha.

“Hoje queremos compartilhar algo muito importante com vocês, Lívia além da fenda tem outra condição rara, para quem não sabe aos 5 meses ela foi diagnosticada com a síndrome de prader-willi, uma alteração genética que afeta o cromossomo 15 paterno, nos bebês apresenta: hipotonia muscular, dificuldade de sucção e deglutição, atrasos no desenvolvimento psicomotor e em torno de 2 anos a compulsão alimentar, dentre outros sintomas”, escreveu o pai da Lívia.

Ele ainda relatou que a fenda foi de difícil diagnóstico, já que alguns sintomas são parecidos com disfagia (engasgos) e o diagnóstico da doença foi na mesma época que descobriram a fenda. Hoje Lívia com um ano e meio faz o tratamento da síndrome, porém por ela usar traqueostomia dificulta um pouco as sessões de fisioterapia, já que ela não pode ser colocada em algumas posições, até tirar a traqueostomia há um atraso para começar as sessões de fonoaudiologia.

Além de sofrer de pneumonia aspirativa e usar traqueostomia e botton durante a alimentação, a medicação usada é a Norditropin. Somente após 5 meses de mover uma ação judicial, que o SUS começou a fornecer o medicamento.

Mesmo com a Secretaria Municipal de Saúde custeando toda a cirurgia da pequena Livinha, os pais precisarão de ajuda para conseguir se manter em outra cidade até a alta médica. Segue abaixo o link para doações da Vakinha Virtual.

Para serem feitas as doações segue o link da vakinha virtual e as duas chave PIX da família.

121.833.536.00
Lucas Alexandre

121.676.786.65
Natane

(35) 9 9849 0824

http://vaka.me/2783711

Da Redação